Prebióticos e probióticos: o que são?

O intestino é um dos principais órgãos digestivos do organismo dos animais de estimação e é preciso que sua flora de bactérias, também chamada de microbiota, esteja sempre saudável e bem equilibrada para que ele consiga absorver todos os nutrientes da ração e tenha uma saúde de ferro.

Isso significa que, mesmo recebendo alimentos de excelente qualidade nutricional, se seu intestino não estiver saudável, o seu pet pode estar absorvendo poucos nutrientes, o que causa baixa imunidade e o aparecimento de doenças oportunistas.

Para evitar esse quadro, dois tipos de produtos foram desenvolvidos para o mercado pet que, além de nutrir, equilibram a microbiota do seu animal: os probióticos e os prebióticos. Entenda melhor como cada um deles funciona no post de hoje.

Probióticos versus prebióticos: entenda a diferença entre esses suplementos alimentares

O que são probióticos?

Probióticos são suplementos alimentares que contém microrganismos vivos do grupo das bactérias lácticas em seu interior, que repõe e estimula a melhora da flora intestinal do seu pet. Esse tipo de bactéria nutre a flora intestinal, além de combater bactéricas nocivas para o organismo do seu animal de estimação. Os probióticos agem como um reforço da barreira imunológica natural do corpo de cães e gatos e, por isso, são bastante indicados após o uso de medicamentos, a realização de tratamentos que pode ter comprometido esse sistema ou como complemento em casos de diarreia prolongada.

As duas principais bactérias que podem compor os probióticos para cães e gatos são as Lactobacillus acidophilus e Enterococcus faecium.

O que são prebióticos?

Já os prebióticos são produtos que visam criar um ambiente propício no intestino do seu animal para que as bactérias consideradas “boas”, ou seja, que auxiliam o nosso organismo em vez de causar doenças, cresçam e se desenvolvam. Para isso, os prebióticos contém fibras alimentares e outros componentes. No caso dos cães, os principais elementos dos prebióticos são os frutoligossacárideos (FOS) e os mananoligossacarídeos (MOS).

Para serem considerados prebióticos, os produtos suplementares devem conter ingredientes que não são digeridos pelas enzimas do estômago do seu animal e, por isso, chegam inteiros ao intestino do pet. Lá, esses ingredientes serão metabolizados pelas bactérias presentes, que irão transformá-los em ácidos orgânicos. Esses ácidos irão diminuir o pH do intestino, ou seja, irão torná-lo mais ácido, ambiente ideal para as bactérias consideradas boas, e inadequado para as causadoras de doenças no seu pet.

Como administrar probióticos e prebióticos ao seu pet

Entre os formatos diversos desses produtos funcionais podemos encontrar os complementos e suplementos alimentares e as rações que contém esses elementos juntamente com os nutrientes essenciais para a alimentação do seu pet.

A administração de produtos probióticos e prebióticos deve ser feita apenas por indicação de um médico veterinário e nunca por conta própria.

Para que seu pet tenha a melhor saúde possível é preciso também estudar sobre primeiros socorros para cães e gatos. Confira aqui nosso artigo especial sobre intoxicação com plantas venenosas e saiba o que fazer se seu cão ou gato ingerir alguma delas!

Comentários