Por que os cães comem grama?

A cena, um tanto curiosa, é até corriqueira para quem compartilha seus dias com seu amigão de quatro patas, mas é igualmente natural. Afinal de contas: por que os cães comem grama?

Explicações para isso não faltam, mas devem ser encaradas como algo que faz parte dos instintos do cão. A princípio, a teoria mais aceita é a de que o seu animalzinho de estimação está tentando tratar algum desconforto ou dor na região abdominal.

As causas e consequências dessa ingestão, entretanto, devem servir de atenção a esse comportamento, principalmente para evitar que o cão engula algo que não deveria. Por isso, vamos entender a fundo por que os cães comem grama e como contornar esse hábito?

Um mundo de atrações

Passear com o animalzinho de estimação é uma boa maneira de mantê-lo com uma boa preparação física, mas é uma ótima forma para ligar o sinal de alerta, já que eles são vorazes, e saem abocanhando coisas que sequer reparamos pelo caminho — a grama, inclusive.

Mas, neste caso, e que também podemos expandir a todo universo de plantas verdes que cruzar o campo de visão dos animados caninos, essa alimentação natural pode envolver a solução para algum tipo de incômodo, como:

  • Náuseas;
  • Indigestão;
  • Infecções diversas;
  • Doenças relacionadas a distúrbios alimentares, como parasitas e micróbios.

Dessa maneira, a intenção parece ser expelir aquilo que está fazendo mal a eles. Uma espécie de busca por alívio imediato.

Vale compreender que, para especialistas, nem todos os cães comem grama, o que não torna esse hábito um consenso. Por isso, outros motivos podem levá-los a fazer do seu jardim um verdadeiro banquete. Vamos ver quais são?

Instinto dos cães

Há quem garanta que muitas informações a respeito das presas dos cães ficam contidas na grama, como o aroma delas ou mesmo o seu gosto. E, para absorver esse conteúdo, os cães comem grama.

Assim, diante da proximidade de um potencial rival, acredita-se que o cãozinho já se prepare para o confronto, como faziam os seus ancestrais mais distantes.

Fome

Às vezes, não se trata de alívio ou de um hábito inserido em seu DNA, mas, simplesmente, de uma questão fisiológica: fome.

Muitos animaizinhos de estimação veem, nas plantas, uma deliciosa opção de alimento e recorrem às suas plantas favoritas quando a fome chega sem aviso prévio.

No entanto, essa predileção curiosa deve ser observada de perto, já que existem muitas plantas venenosas por aí, e o cachorro não consegue distingui-las.

Automedicação

Como falamos anteriormente, os cães comem grama, segundo os especialistas, para aliviar algum tipo de dor, mas a verdade é que a clorofila presente nas plantas contém, de fato, uma série de benefícios, sendo de grande auxílio para:

  • Atuar como um antibacteriano contra feridas;
  • Combater infecções, como as que ocorrem na garganta, por exemplo;
  • Auxiliar no trato de infecções na gengiva.

Ou seja: muitas vezes, nossos amiguinhos com o focinho gelado apenas estão tentando se automedicar.

Ansiedade

Seja pela falta de atenção ou de disposição para exercitá-los, muitos cães podem desenvolver uma mudança comportamental brusca, como estresse ou mesmo de ansiedade.

Como consequência, alguns distúrbios veem à tona, como comer grama. Dessa forma, é importante se certificar de que o seu companheiro esteja recebendo todos os cuidados necessários, inclusive uma boa dose de brincadeiras e carinhos.

Dieta desregrada

Não oferecer os nutrientes necessários para a dieta canina tem se tornado um problema até frequente, e que muitos cãezinhos têm descontado no jardim alheio ou em passeios pelo parque.

Esse tipo de comportamento, portanto, pode ser uma tentativa de ativar algumas enzimas capazes de produzir vitaminas (em especial, a A, E e K).

Encare o hábito com naturalidade

Como vimos, uma série de fatores pode levar o seu cãozinho a descontar o seu apetite em gramas e outros matinhos, o que não significa que você deva baixar a guarda.

Afinal de contas, a ingestão desregrada pode levar a uma intoxicação, já que o voraz apetite dos caninos não é muito seletivo.

A nossa recomendação é que você mantenha esse comportamento sob constante vigília: se o seu animalzinho de estimação passar mais tempo provando plantas verdes do que se divertindo, em um passeio pelo parque, por exemplo, convém fazer uma visita ao veterinário.

Dessa maneira, um diagnóstico preciso sobre esse comportamento será realizado e, com o tempo, o hábito se tornará algo esporádico.

Comentários