É Tempo de Castração

É Tempo de Castração

Muitas vezes nos deparamos com uma grande dúvida: “Castrar ou Não castrar” nosso cão ou gato?

Sabe-se já há alguns anos que existem algumas vantagens ao decidir pela castração do seu melhor amigo. Vamos falar um pouco sobre elas hoje.

O avanço da Medicina Veterinária permitiu a realização deste tipo de procedimento cirúrgico com extrema segurança, uma vez que os cuidados no transoperatório são tomados de forma eficaz em termos de anestesia, técnica cirúrgica, esterilização adequada de instrumentais, dentre outros detalhes que nos evidenciam essa evolução.

A indicação mais comum para a realização das castrações de machos (orquiectomia) e fêmeas (OSH-ováriosalpingohisterectomia) de cães e gatos é o controle populacional, embora também sejam recomendadas como prevenção de algumas doenças, principalmente em idade avançada, e como tentativa de melhorar o comportamento de alguns pacientes.

Controle populacional

O controle populacional é um problema que afeta a maioria dos países, pois milhares de animais são sacrificados diariamente, nem sempre de forma humanitária, por falta de informações, incentivos ou subsídios por parte de seus proprietários.

Castração nos Machos

Em machos a castração pode melhorar comportamentos indesejados, como a demarcação de território (ato de urinar em lugares diversos), ter acesso à rua e envolver-se em brigas com outros animais à procura de fêmeas no cio, evitando também doenças sexualmente transmissíveis. Com o avanço da idade alguns machos podem desenvolver doenças da próstata e testículos, as quais podem ser evitadas precocemente com o ato da castração.

Castração nas Fêmeas

No caso das fêmeas, a OSH é o mais efetivo dentre os métodos contraceptivos. O uso de anticoncepcionais por via oral não é recomendado, pois pode resultar em doenças graves como, por exemplo, o desenvolvimento de tumor de mama e/ou infecção uterina (piometra), que podem levar à morte do animal se não forem tratadas o quanto antes.

A OSH pode atuar profilaticamente na prevenção de tumor de mama em gatas e cadelas, porém deve ser realizada precocemente. Assim, recomenda-se a castração antes do primeiro cio, sem que fêmea tenha atingido a fase da puberdade. Ao contrário do que ouvimos através dos ditados populares, as cadelas e gatas não precisam procriar para evitar as doenças reprodutivas citadas anteriormente. ISSO É MITO!

Além da forma profilática, a castração pode atuar terapeuticamente minimizando o efeito maléfico que alguns hormônios sexuais podem causar, e desta forma piorar determinadas enfermidades, como por exemplo, Diabetes mellitus, algumas doenças dermatológicas, epilepsia idiopática, dentre outras.

 Procedimento Cirúrgico

O procedimento cirúrgico é bastante simples, e também seguro, desde que observadas determinadas condições, tais como: higiene do local, o tipo de anestesia (a mais segura sem dúvida, é a anestesia inalatória), conhecer o profissional que irá realizar o procedimento, ter a segurança de que a clínica ou hospital possui um centro cirúrgico adequado com oxigênio e equipamentos para manobras de emergência. A anestesia inalatória envolve a participação de um médico veterinário anestesista que irá monitorar o paciente durante todo o período pré e transoperatório. Por isso, pergunte sobre a equipe cirúrgica para que você fique mais tranquilo de que está oferecendo o que há de melhor para seu animal.

Muitas vezes, não há condições financeiras para arcar com esse tratamento de primeira qualidade. Nesses casos, indicamos procurar um local por indicação para que seja realizada um procedimento da forma mais segura possível dentro das condições oferecidas pelo profissional. Vale lembrar, que os benefícios da castração são consideráveis e avaliando todas as condições com cuidado, é indicado a realização da castração.

A técnica cirúrgica da OSH para fêmeas envolve a retirada dos ovários e útero da paciente. No caso dos machos, a técnica envolve a retirada dos testículos, e é importante avaliar se ambos testículos estão na bolsa escrotal, caso contrário, a técnica cirúrgica é um pouco diferente, embora seja considerada extremamente simples também. Nesse caso, o médico veterinário irá explicar com detalhes o procedimento.

Os pacientes submetidos à castração podem ganhar peso ao longo dos anos, pois tendem à comer mais e podem tornar-se mais sedentários. É importante que haja um controle na dieta para evitar sobrecarga de peso que pode levar ao desenvolvimento de outras doenças. Assim, adote esse conceito: “É TEMPO DE CASTRAÇÃO”. Castre seu bichinho e incentive seus amigos a fazer o mesmo!!!

CUIDE COM CARINHO E RESPONSABILIDADE DE QUEM VOCÊ AMA E SEJA MAIS FELIZ!!!

Veja Também: Como evitar Pulgas e Carrapatos

Dra Patrícia Moraes

Hospital Veterinário Paes de Barros

Comentários