Aedes aegypti: seu pet também precisa ser cuidado!

Aedes aegypti seu pet também precisa ser cuidado

Em meio à crise das doenças transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti, muitas famílias ficam preocupadas se os seus pets também podem ser contaminados por esse vetor, e querem saber quais os perigos reais que eles correm diante dessa epidemia.

No post de hoje vamos falar sobre quais as doenças que podem colocar em risco a saúde dos nossos pets e quais os principais sintomas relacionados a elas. Acompanhe!

Pets também podem ser picados pelo Aedes aegypti

Para quem não sabe, os pets, como cães, gatos, pássaros e outros bichos, também podem ser alvo da fêmea do Aedes, embora não sejam preferenciais. Na presença de um humano e seu pet, o Aedes aegypti vai sempre preferir picar o seu tutor.

No entanto, pelo menos para os nossos pets, uma boa notícia: o ser humano é o único hospedeiro vertebrado dos vírus que causam as doenças dessa temporada. Isso significa que, mesmo que seu animal seja picado pelo Aedes, ele não correrá riscos de desenvolver doenças como a dengue, o Zika Vírus, a Chikungunya e a Febre Amarela.

No entanto, isso não é motivo para baixarmos a guarda. Emborra protegidos dessas doenças, nossos bichos são vulneráveis a outras, muito mais graves para eles.

A dirofilariose ou Verme do coração

O Aedes, juntamente com um outro mosquito chamado Culex, são responsáveis por transmitir a dirofilariose, mais conhecida como Verme do coração. Essa doença gravíssima é transmitida quando o mosquito pica um cachorro ou gato contaminado e, em seguida, um sadio. No momento da picada, as microfilárias – larvas desse parasita, são passadas para o animal saudável. As larvas então migram para a artéria pulmonar e para o coração do pet, onde vão crescer até atingir quase 25 centímetros de comprimento. Enquanto crescem, as larvas dificultam a função principal do coração: bombear sangue oxigenado para o restante do corpo, causando – no último estágio – um quadro de insuficiência cardíaca que pode levar a morte.

Os principais sintomas da dirofilariose são sangramentos pelo focinho, dificuldade de correr e fazer exercícios, apresentando cansaço excessivo, tosses e desmaios, e barriga d’água.

Na presença de qualquer um desses sintomas, é importante consultar um veterinário para um diagnóstico correto e início de tratamento. Quando mais parasitas no organismo, mais grave e torna o quadro de saúde do animal.

Cuidados para o seu pet e para a sua família contra o Aedes aegypti

Os cuidados contra o Aedes aegypti devem ser redobrados para quem tem um animal de estimação em casa. Para evitar que os pets sejam picados, algumas precauções são importantes:

  • Utilize coleiras repelentes de insetos no seu pet, que podem ser muito eficientes contra os mosquitos, além de afastarem pulgas;
  • Vasos, velas e sprays de citronela podem deixar o ambiente mais seguro;
  • Utilize coleiras que repelem pulgas, carrapatos e mosquitos em seus cães;
  • Evite passear com o seu pet em horário de pico e evite expô-lo ao ar livre próximo do pôr-do-sol;
  • Tele as portas e janelas de sua casa;
  • Converse sempre com o seu veterinário de confiança e faça um check up do seu pet.

Além dos cuidados com o seu pet, é importante também proteger a sua família!

Pelo menos uma vez por semana cheque a área dos pets para água parada e lave com esponja abrasiva as vasilhas de água e alimentos dos animais. O Aedes pode colocar ovos na borda dessas vasilhas que costumam reter água limpa, seja de beber, seja da chuva. Para evitar que os ovos fiquem grudados nesses recipientes, inclua sua limpeza na checagem semanal do quintal e áreas externas contra os mosquitos, principalmente após as chuvas.

Ainda não montou um kit de emergência para seu bicho de estimação? Confira nosso post especial com os 10 itens que não devem faltar no kit de primeiros socorros do seu pet!

Comentários