Adoção de cachorro: tudo o que você precisa saber

Adoção de cachorro tudo o que você precisa saber

É inegável que um animal de estimação é uma ótima companhia e que traz alegria para qualquer lar. Se você mora com a família ou sozinho, não importa: um cão é um amigo fiel e certamente vai encher sua casa de amor e sorrisos. Há várias pesquisas sobre adoção de cachorro que provam que um animalzinho de estimação faz muito bem à saúde e pode até evitar depressão.

É difícil encontrar alguém que nunca tenha pensado em adoção de cachorro, mas o medo de ter um patudo acaba fazendo com que essas pessoas desistam. Um pouco de receio é sim bem-vindo, já que evita que pessoas que não estejam preparadas para ter um cachorro acabem devolvendo-os assim que perceberem isso. Ou pior: que os abandone de novo.

Por isso, antes de decidir adotar um cachorro, lembre-se que ele vai viver por pelo menos 13 anos. Mas pode ter certeza de que serão anos de um amor puro e verdadeiro e, claro, responsabilidade e compromisso.

Por que adotar?

Se você vê um cachorro abandonado na rua e seu coração se enche de tristeza, saiba que não está sozinho. Mesmo assim, ainda há muitas pessoas que enxergam um animal de estimação como coisa e os descartam assim que enjoam do brinquedo. Para se ter uma ideia, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), existem mais de 30 milhões de animais abandonados no Brasil, entre 10 milhões de gatos e 20 milhões de cachorros.

Embora existam pessoas que consideram animais como objetos descartáveis, há muita gente tentando mudar esse quadro. ONGs que cuidam de animais abandonados e pessoas, como vocês, que estão pensando em adotar um patudo. Caso você concorde que animais não são mercadorias, mas seres com sentimentos e que têm necessidades de amar e de serem amados, verá que não há muito sentido em comprar um cãozinho. Além de trazer muito amor para sua casa, você também vai contribuir para a redução do número de cães nas ruas e nos abrigos.

Cão filhote ou adulto?

Você precisa ter consciência de que a maioria dos cães para adoção não têm raça definida, ou seja, são vira-latas. Assim, é mais difícil prever aspectos de seu desenvolvimento, como porte na fase adulta ou mesmo a personalidade. Se esses fatores são muito importantes para você (seja por questão de espaço ou convívio), por que não adotar um cão já adulto? Embora filhotes sejam mais fáceis de adestrar e de ensinar os hábitos da casa, você vai ter que contar com a sorte. Já o adulto, embora demonstre traços de personalidade e o tamanho definitivo, vem com costumes, manias e traumas. Por tudo isso, é preciso ponderar o que mais importa para você e lembrar que com muito amor, carinho e paciência, é possível adequar qualquer cão aos costumes da casa.

Dicas para adoção de cachorro

Antes de adotar um cachorro, visite-o algumas vezes. Um contato só não será suficiente para ter uma ideia da personalidade, comportamento, manias e também se vocês dois estão em sintonia. Cuidado com aquele sentimento de “amor à primeira vista”. Sim, aquele olhar irresistível não pode ser o único fator a ser levado em consideração na hora de adotar um cão, embora seja difícil resistir à tamanha fofura. Abaixo, separamos algumas dicas para ajudar na hora de avaliar qual cãozinho será seu fiel companheiro nos próximos anos.

1. Leve em conta o seu estilo de vida

Leve em conta o seu estilo de vida

Cachorros requerem cuidados diários e nunca serão completamente independentes de seus donos. Por isso, não adote se não tiver certeza que irá ficar com ele até que ele precise partir. Se você viaja muito e não tem tempo para passear ou brincar com o peludo e nem tem alguém que possa fazer isso, desista. Um cachorro é como um filho e sente muita falta de seu dono. Há muitos casos de animais que ficam doentes de saudade.

2. Calcule antes as despesas

Calcule antes as despesas

Ter um cachorro pode custar caro. Não falamos isso para assustar, porém é preciso lembrar que existem custos fixos que envolvem alimentação, vacinação, banho e tosa. Há também aqueles gastos inesperados com consultas veterinárias, procedimentos cirúrgicos, exames, adestramento, acessórios, medicamentos etc.

3. Escolha o que mais combina com você

Escolha o que mais combina com você

Caso você seja uma pessoa mais adepta ao sofá e às séries de TV, cuidado com cães muito “elétricos”, que parecem ter energia infinita. Se as corridas no parque não estão no seu plano, adotar um cão muito disposto poderá fazer com que ele sofra e trazer sérios danos aos seus chinelos. Isso significa que é preciso escolher um patudo que tenha a energia parecida com a sua.

4. Descubra se todos querem ter um cão

Descubra se todos querem ter um cão

A decisão de se ter um peludo precisa ser de toda a família ou dos moradores da casa. Lembre-se que ele passará a ser mais um membro da casa e por isso não é legal levá-lo para lá se alguém discorda. Além de tudo, como o cachorro vai exigir passeios diários, carinho, amor e cuidado com a alimentação e saúde, é sempre bom ter mais de uma pessoa comprometida a tomar conta do cão. E também não adianta adotar um cachorro só por causa de um filho que resolveu querer um amiguinho. Ele se compromete a ajudar? Você tem certeza disso?

5. Verifique saúde e histórico de traumas

Verifique saúde e histórico de traumas

Na maioria das vezes, cães de abrigos trazem uma bagagem de vida triste, considerando que o primeiro lar dele foi a rua. Por isso é importante saber o que aquele cãozinho sofreu ou mesmo como chegou ao abrigo. Outro aspecto importante é o estado de saúde dele. É essencial verificar a saúde do cão antes de levá-lo para casa, evitando assim problemas para o peludo e para os moradores. Recomenda-se também que o animal seja castrado, para não aumentar ainda mais a população de cães de rua.

E aí? Está preparado para adoção de cachorro? Então Clique AQUI e busque um para adoção.

Comentários