3 cuidados que você deve ter com o pet deficiente

3 cuidados que você deve ter com o pet deficiente

Nosso relacionamento com os bichos de estimação mudou radicalmente. Hoje, cães e gatos foram promovidos do quintal para a nossa casa, ganhando o status de membros plenos da família que são cuidados com dedicação e carinho até o final de suas vidas. Além disso, a cultura da adoção de animais está cada vez mais disseminada e, com ela, também a adoção de pets idosos, com mobilidade reduzida, se recuperando de algum acidente ou algum defeitinho de fabricação.

Não é à toa que tem crescido a quantidade de lares brasileiros com pets que contam com algum tipo de deficiência, seja motora, visual ou auditiva. Quem tem um pet especial desses em casa pode confirmar: a alegria de viver desses bichinhos é contagiante! E se você anda pensando em passar por essa experiência transformadora, separamos no texto de hoje os principais cuidados que você deve ter para receber um pet com deficiência na sua vida. Confira quais são eles:

3 cuidados necessários para criar um pet com deficiência

O primeiro passo é conhecer a fundo a deficiência do seu pet e conseguir o máximo de orientações possível com o médico veterinário que será responsável por cuidar dele nessa nova etapa da sua vida. Em seguida, chegou a hora de garantir que você, sua casa e sua rotina estejam adaptados para receber o mais novo membro da família!

1. Adaptação da sua casa

Pets que precisam usar os carrinhos, as cadeiras de rodas dos pets, precisam de espaços amplos para circular com facilidade, sem obstáculos. Animais cegos também precisam de ambientes de fácil circulação e organizados, além de portões removíveis para batentes de portas (aqueles de criança), que limitem seu acesso aos ambientes que apresentam algum risco para o pet, como escadas.

2. Adaptação da sua rotina para pets com deficiência

A sua rotina vai ser a responsável por dar a qualidade de vida esperada ao seu pet com deficiência. Muitas brincadeiras, passeios acompanhados dos seus tutores, rotinas médicas veterinárias, terapias complementares, hora certa para remédios, banho, entre outros cuidados são importantíssimos para que o animal se sinta seguro e feliz. Além disso, alguns pets com deficiência precisam de massagens abdominais para conseguir fazer suas necessidades, enquanto outros usam fraldas que precisam ser trocadas.

Cães e gatos com deficiência auditiva precisam de uma forcinha extra na hora da disciplina, já que não escutam as palavras de ordem e precisam ser treinados com gestos firmes e expressões faciais.

Não se esqueça de que os pets deficientes também precisam de socialização, assim como os saudáveis. Leve-os para o parque e deixe-os interagir com pessoas, crianças e outros animais.

Por último, pets com deficiência precisam de rotina. Evite mudanças drásticas em suas atividades ou uma troca excessiva de ambientes. Sempre os deixe com pessoas capacitadas para ajuda-los e que conheçam a rotina e as necessidades especiais dos animais.

3. Médicos e tratamentos

Cuidar de um pet portador de alguma deficiência é, sem sombra de dúvidas, mais custoso do que cuidar de um pet saudável. Alguns tratamentos são indispensáveis para garantir uma qualidade de vida melhor aos bichinhos com paralisia ou com um membro amputado, como fisioterapias e acupuntura veterinária. Os carrinhos também possuem um custo elevado, além do gasto com injeções, fraldas e medicamentos.

Esfriando na sua cidade? Confira aqui os cuidados que você deve ter no inverno com a saúde do seu pet!

Comentários